Recomendado para fins estéticos e/ou funcionais para quem busca ter os dentes alinhados e em harmonia.

O aparelho ortodôntico fixo é utilizado para o alinhamento dos dentes, quando necessária maior intervenção e quanto maior a complexidade do tratamento. É composto pelos bráquetes (metálicos, plásticos ou cerâmicos) que ficam colados aos dentes através de uma substância adesiva ou cimento, e por um arco que serve de guia para a correção.

Existem 2 tipos de aparelho fixo: os convencionais (tradicionais ou estéticos) e os auto-ligáveis.

Nos aparelhos fixos convencionais, o aparelho metálico e mais conhecido, o arco mantém-se preso a cada um dos bráquetes através de borrachinhas e a movimentação dentária é favorecida através de dobras e do uso de acessórios, como molas e elásticos. No aparelho estético, as peças são feitas de safira ou porcelana, são mais discretos que o modelo metálico.

É necessária manutenção mensal, em consulta dentária, para que o ortodontista aperte regularmente o aparelho dentário, obrigando os dentes a moverem-se continuamente no sentido desejado. Os aparelhos fixos convencionais podem ser de bráquetes metálicos, para fins terapêuticos, e de bráquetes transparentes, para fins estéticos.

Aparelhos fixos autoligáveis possuem a tecnologia mais avançada existente no mercado, cujos bráquetes são os mais modernos e os arcos adequados a cada estágio do tratamento, proporcionando ótimos resultados em um tempo menor de tratamento, em manutenções mais espaçadas, em média a cada 3 meses.

O sistema dispensa o uso das borrachinhas e acessórios, promovendo uma maior força para mover o dente, pois, apresenta um encaixe próprio que fixa o arco mantendo o fio ativado durante mais tempo.

A ausência de borrachinhas favorece uma melhor higiene bucal, evitando assim o aparecimento de cáries. Também podem ser metálicos e transparentes.

Recomendado para fins estéticos e/ou funcionais para quem busca ter os dentes alinhados e em harmonia.

O aparelho ortodôntico fixo é utilizado para o alinhamento dos dentes, quando necessária maior intervenção e quanto maior a complexidade do tratamento. É composto pelos bráquetes (metálicos, plásticos ou cerâmicos) que ficam colados aos dentes através de uma substância adesiva ou cimento, e por um arco que serve de guia para a correção.

Existem 2 tipos de aparelho fixo: os convencionais (tradicionais ou estéticos) e os auto-ligáveis.

Nos aparelhos fixos convencionais, o aparelho metálico e mais conhecido, o arco mantém-se preso a cada um dos bráquetes através de borrachinhas e a movimentação dentária é favorecida através de dobras e do uso de acessórios, como molas e elásticos. No aparelho estético, as peças são feitas de safira ou porcelana, são mais discretos que o modelo metálico.

É necessária manutenção mensal, em consulta dentária, para que o ortodontista aperte regularmente o aparelho dentário, obrigando os dentes a moverem-se continuamente no sentido desejado. Os aparelhos fixos convencionais podem ser de bráquetes metálicos, para fins terapêuticos, e de bráquetes transparentes, para fins estéticos.

Aparelhos fixos autoligáveis possuem a tecnologia mais avançada existente no mercado, cujos bráquetes são os mais modernos e os arcos adequados a cada estágio do tratamento, proporcionando ótimos resultados em um tempo menor de tratamento, em manutenções mais espaçadas, em média a cada 3 meses.

O sistema dispensa o uso das borrachinhas e acessórios, promovendo uma maior força para mover o dente, pois, apresenta um encaixe próprio que fixa o arco mantendo o fio ativado durante mais tempo.

A ausência de borrachinhas favorece uma melhor higiene bucal, evitando assim o aparecimento de cáries. Também podem ser metálicos e transparentes.